terça-feira, 12 de maio de 2009

FELIZ ANIVERSÁRIO DÉ!

Minha parceira, amiga, comadre...
Já te escrevi milhões de cartões, então pq será que ainda assim tenho a impressão que ficou faltando te dizer algo...
O que seria de mim por aqui, sem vc???
Mais um ano juntas, comemorando... Sinto que cada vez mais próximas, e tudo o que eu posso desejar de melhor nesse mundo, vc merece... Saúde, Paz, Harmonia, Amor...
Eu to sentindo, que estamos todos entrando numa nova fase... Onde seremos ainda mais felizes (se é que isso é possível) ... Teremos só motivos pra comemorar...
Quero hoje dedicar um texto especial da Martha Medeiros (que eu sei que vc gosta) ... Preste atenção:
ENTRE AMIGOS
Para que serve um amigo? Para rachar a gasolina, emprestar a prancha, recomendar um disco, dar carona pra festa, passar cola, caminhar no shopping, segurar a barra. Todas as alternativas estão corretas, porém isso não basta para guardar um amigo do lado esquerdo do peito. Milan Kundera, escritor tcheco, escreveu em seu último livro, "A Identidade", que a amizade é indispensável para o bom funcionamento da memória e para a integridade do próprio eu. Chama os amigos de testemunhas do passado e diz que eles são nosso espelho, que através deles podemos nos olhar. Vai além: diz que toda amizade é uma aliança contra a adversidade, aliança sem a qual o ser humano ficaria desarmado contra seus inimigos. Verdade verdadeira. Amigos recentes custam a perceber essa aliança, não valorizam ainda o que está sendo contruído. São amizades não testadas pelo tempo, não se sabe se enfrentarão com solidez as tempestades ou se serão varridos numa chuva de verão. Veremos. Um amigo não racha apenas a gasolina: racha lembranças, crises de choro, experiências. Racha a culpa, racha segredos. Um amigo não empresta apenas a prancha. Empresta o verbo, empresta o ombro, empresta o tempo, empresta o calor e a jaqueta. Um amigo não recomenda apenas um disco. Recomenda cautela, recomenda um emprego, recomenda um país. Um amigo não dá carona apenas pra festa. Te leva pro mundo dele, e topa conhecer o teu. Um amigo não passa apenas cola. Passa contigo um aperto, passa junto o reveillon. Um amigo não caminha apenas no shopping. Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo, sai do fracasso ao teu lado. Um amigo não segura a barra, apenas. Segura a mão, a ausência, segura uma confissão, segura o tranco, o palavrão, segura o elevador.
Duas dúzias de amigos assim ninguém tem.
Se tiver um, amém.
Te amo comadre, do fundo do coração!

Nenhum comentário: