sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Por pouco...

Quando eu era uma pequena criança vesga dia sim dia não, eu sonhava que alguma tragédia estava acontecendo ao meu pai, eu nunca contava pra ele dessas coisas, pq eu ficava com medo de deixá-lo preocupado. Um dia, minha mãe me levou na psicóloga (pq na época essa coisa de terapia não era tão chique como é hoje) e a Doutora, conversou muito comigo.
Ela disse que na minha idade, crianças normalmente tinham pesadelos com monstros, bruxas, fred's Kruggers, Jasons e afins, pq pras crianças em geral, isso era a pior coisa que poderia acontecer pra eles... dar de cara com um dos bichos aí citados

Mas comigo era diferente...

Eu era tão, mas tão apegada no meu pai, que eu tinha muito medo de perdê-lo. Nossa ligação sempre foi muito forte, a ponto de despertar ciúme na minha mãe e no meu irmão...
O Marck hoje já se acostumou com isso, mas no início quando a gente casou, ás vezes ele acordava no meio da noite, com os soluços do meu choro... E perguntava o que era , eu respondia:

- Saudades do meu pai!
É claro que minha mãe é muito importante pra mim, e eu a amo incondicionalmente, mas com o meu pai a coisa é diferente, somos almas gêmeas! Ele é tudo aquilo que eu sempre busquei num marido, amigo, pai... Interessante, é que o jeito dele é muito parecido com o jeito do meu marido... E antes do Marck, meu ex namorado tb tinha o estilo dele...
Meu pai sempre minha referência de HOMEM , sempre foi meu herói, meu porto seguro, minha imagem de ternura, de carinho...
Era por isso que eu sempre sonhava que algo ruim acontecia com ele, pq era o meu maior medo!
Pq que eu estou escrevendo tudo isso hoje???

Pq anteontem, quando eu estava terminando de escrever o post aí embaixo... eu recebi uma ligação ...

Uma ligação que me tirou o ar, fez minhas pernas tremerem a ponto de eu não conseguir me manter em pé, e trouxe á tona todos aqueles meus pesadelos da infância...
Numa tentativa de assalto, que ele reagiu, por pouco... muito pouco (questão de milímetros) um dos tiros não tornou realidade o meu maior pesadelo...
Felizmente , ficamos no quase...
Ele foi ao hospital , pra fazer curativos só... um do lado do queixo, por conta da bala que pegou de raspão, e do outro lado do rosto, ficou cheio dos estilhaços do vidro , e do tiro...

Mas graças a Deus foi só isso, Deus que é chegado meu... protegeu ele, e puxou ele pra trás na hora, e meu pai pode continuar vivo pra me contar essa história!

Valeu Deus... e muitooo obrigada pela força meninas que estavam comigo (on line) na hora que aconteceu... (Re Rima, Beth, Adriana e Rose


PAI TE AMOOOO QUE NEM CABE ....

PS. Eu sei que vc lê aqui!

Nenhum comentário: