quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Coisas de mulher...

Eu to naqueles dias, e me admirei, ao descobrir aos 30 anos que usar O.B. pode ser uma coisa bacana... Antes eu tinha preconceito, aliás, eu já contei pra vocês né? Que eu sou meio preconceituosa? Meu preconceito não tem nada a ver com cor de pele, e nem raça ou opção sexual, até pq na minha opinião, gente que se acha melhor que outro, por conta de cor de pele, não é preconceituoso não, É BURRO MESMO!
Mas voltando ao assunto, eu sempre tive preconceito com O. B., tampax,e similares, já tinha usado uma ou duas vezes em ocasiões de emergência (praia) mas não havia me adaptado muito bem...
Só que justo ontem, que eu resolvi trocar de bolsa, e deixei minha necessaire em casa, na hora que voltei do cliente para o hotel, percebi que tinha algo errado, fui ao banheiro e adivinha? Era ele... Francisco!
Pedi pra minha nova colega de infância trabalho, e ela só tinha o tal do dito cujo... Foi o jeito né?
E não é que eu gostei?
Bem melhor do que andar com aquele trombolho no fundo da calcinha... eu hein???
E em homenagem a minha nova descoberta, um texto do Veríssimo que eu acho engraçadinho, e tem a ver com o post de hoje...
Um dia de modess
Aceitei o desafio de passar um dia com um modess na cueca. A primeira menção do assunto modess me causa uma vontade de gargalhar irracional.
Pois eu resolvi que já era hora de encarar esse trauma de forma mais íntima.
O primeiro passo foi comprar a pequena fralda na farmácia. Isso foi fácil. Na verdade, foi até divertido. Fiquei torcendo pra mulher do caixa perguntar, e eu responder de forma bem "casual": "É pra sua namorada???
"Não. É pra mim!!!"
Só que ninguém nem tchuns, o que prova que as meninas ficam constrangidas à toa. Na verdade, menstruar é uma parada normal.Acontece nas melhores famílias.Comprei um não-sei-o-que "mini".
Não ligo pra grifes, ainda mais de modess.Mas nesse caso, o que importava era o tamanho. E era mini. Porque, se é pra eu fazer esse papel de usuário de absorventes, pelo menos que eu não passe por arrombado.
E a diferença de bitola entre o mini e o super é significativa, o que me fez pensar sobre como algumas mulheres são maiores que as outras...bom. Comprei também um tablete Valda pra dar uma dechavada básica e fui pra casa realizar o sacrifício que me tornaria um membro da classe masculina mais compreensiva com o sexo oposto.
Chegando em casa, fui tentar abrir o pacote. Impulsivo por natureza, o homem não se dá ao trabalho de procurar linhas pontilhadas e, assim sendo, comecei abrindo errado.
A abertura na horizontal tem um porquê, se adapta melhor à bolsa e deixa o absorvente mais à mão no caso de uma enxurrada inesperada.Mas eu ignorei, pois não uso bolsa.
Ao retirar a peça do invólucro, você tem que descolar uma abinha para grudar na roupa íntima.Se a menstruação em si não deixar "incomodada", essa almofada intrusa no seu chakra genital com certeza vai. Calculei que o centro do modess ficasse na altura da "terra de ninguém",
de forma que ele não invadisse o território peniano. O saco reclamou um pouco, já que não se tratava de uma cueca duplex com teto solar.Um pouco de paciência e um pequeno remanejamento espacial e tudo estava resolvido.
A primeira coisa que se pensa ao compor o modelão usando absorventes externos é: "Será que está marcando?".
Por isso é essencial que você faça tudo com a companhia de um aliado. Assim, você vai poder contar com um correspondente nos países baixos, que vai lhe avisar caso o modess cisme em querer se destacar na sua bunda. Ao sair de casa, fingi que não tinha um objeto parasitário ultrajando a minha intimidade.Mas parece que está piscando um outdoor na sua testa avisando "estou de chico". E eu nem tava!!! Que absurdo...
Até encontrar seu aliado (a), é sempre bom dar uma conferida nos reflexos que você encontrar pelo caminho, como espelhos e vitrines, pra ver se está marcando. DANE-SE a queda na bolsa de Tóquio ou a reforma ministerial. O que importa é que ninguém perceba que você está aqueles dias. E a preocupação é uma constante. Não dá pra esquecer que seu fundilho está acolchoado.
Ao final de minha jornada, foi um alívio tirar o cuecão e zunir o modess no lixo. Claro que eu tive o cuidado de dobrá-lo e escondê-lo no canto do lixo, antes, envolvendo com muito papel higiênico para que ninguém se deparasse com aquele objeto indesejável depois do almoço.
Daí eu entendi por que às vezes tem um montinho de papel enrolado num canto da cestinha do banheiro.
Iuch! Se eu tivesse que usar isso a cada ciclo, ia ter uma crise pré-menstrual que ia durar uns trinta dias por mês. E as mulheres nem ganham adicional por insalubridade.

VOCÊS SÃO HEROÍNAS...AMO, ADORO VOCÊS MULHERES MARAVILHOSAS!

Agora dá para entender um "pouco" essa tal de TPM!!!!!
Aprendi a ser MAIS compreensivo.....com vocês.
Sintam-se todas acariciadas por mim nestes períodos..."



Luis Fernando Veríssimo

Nenhum comentário: